Gamificação nas Empresas: 12 Passos para Dobrar a Produtividade do Time

gamificacao nas empresas
Curtiu o post? Então compartilhe!

Classifique este post
[Total: 7 Média: 5]

Assunto já muito presente no mundo corporativo, a gamificação nas empresas visa aumentar a produtividade de uma equipe por meio de um conjunto de atividades lúdicas que envolvem a interatividade, os jogos e a tecnologia. 

Existem gestores de todos os tipos, e a maioria já passou pela experiência de implementar algo novo no departamento ou em toda a empresa.

Assim como acontece nos videogames, quanto mais vitórias, mais entusiasmo o jogador tem para se empenhar em passar as fases. 

Neste caso, os incentivos ficam por conta das recompensas.

Muitas empresas já identificaram nessa prática um ótimo recurso para promover melhorias no desempenho da força de trabalho humana e atrair o interesse dos novos profissionais.

E se você procura por formas de aplicar a gamificação na sua empresa, basta acompanhar este post até o final. 

Vamos lá?

Para facilitar sua leitura, separamos o conteúdo em alguns tópicos:

O que é Gamificação? Veja como essa estratégia pode ser aplicada no cotidiano da empresa:

Apesar do nome sugerir isso, Gamificação, ou Gamification, não significa ter jogos na empresa, mas sim utilizar a mecânica de jogos para conseguir com que algo seja executado, de acordo com as decisões tomadas.

Se você já jogou alguma coisa sabe, que dentro de qualquer jogo de sucesso existe uma dinâmica de crescimento, com desafios e recompensas.

De acordo com o especialista no assunto, Gabe Zinchermann, a indústria de jogos é 75% psicologia e 25% tecnologia.

Neste caso, sua aplicação consiste no uso de técnicas, estratégias e de design de games em contextos reais como o ambiente de trabalho, onde a meta é uma ambição de todos.

As empresas podem optar por utilizar a gamificação por diversos fatores. Organizar tarefas diárias é uma delas.

Porém, podemos considerar também o desejo de motivar o engajamento dos colaboradores como uma das mais importantes. 

Dessa forma, trazendo uma atividade criativa e divertida durante o trabalho pode-se engajá-los e, ainda, ampliar os conhecimentos de seus funcionários.

Por exemplo, ao perdermos uma partida, recebemos uma espécie de feedback, mostrando o porquê de termos perdido o jogo e o que poderia ter sido feito para mudar esse resultado, para que possamos aplicá-lo em uma próxima partida.

Neste caso, a empresa pode usar o mesmo conceito para realizar um feedback em busca de melhorias para os funcionários. 

E assim, também receber opiniões sobre o que pode ser melhorado na própria empresa.

Porquê você deveria utilizar gamificação na sua empresa?

Sem o uso da gamificação nas empresas é muito comum acabar em frustração, como por exemplo:

  • O time não executa as atividades, porque alega que a rotina das atividades anteriores são mais relevantes;
  • Não conseguir dar prêmios e bonificações, porque além de caro, nem mesmo você sabe como, numericamente, dizer se está dando certo ou não;
  • Ouvir do CEO que você não é um bom líder e não sabe engajar seu time.

12 elementos de uma estratégia de gamificação nas empresas com exemplos:

gamificação nas empresas

1- As conquistas precisam estar claras para que a gamificação nas empresas funcione nas empresas.

A forma mais inteligente de começar tudo é documentando uma espécie de regulamento, que deixe claro quais são os prêmios do programa.

Isso é importante para manter o alinhamento entre os times, mas antes vamos voltar duas casas e pensar: “qual é o meu objetivo com isso?”.

Na StayApp, para cada time eu tinha um objetivo claro.

No time de Marketing, chegar a ter 40% dos Leads vindos de estratégias orgânicas, para reduzir assim meu CAC.

No time de Vendas, manter a consistência do vendedor quanto ao CRM e ao levantamento diário de 4 oportunidades por integrante, assim a meta não seria no desespero do fim do mês e eu teria mais previsibilidade.

No time de Implementação, garantir que o cliente possa criar uma experiência incrível com a plataforma, e isso só seria possível após a instalação do integrador com os sistemas de PDV.

No time de Customer Success, garantir que o Health Score (pontuação da saúde da carteira de clientes) de cada um dos CSM fosse superior a 70%, mantendo assim meu churning sob controle.

No time de Desenvolvimento, finalizar as tasks no menor tempo possível.

No time Financeiro, manter a inadimplência próxima do chão.

Quando você coloca isso no papel fica muito claro quais são os objetivos que vai gerar prêmios para cada um desses times.

2- Recompensas, certificados ou qualquer símbolo de vitórias

Vou pegar o exato exemplo do time comercial:

Caso o representante finalize o dia com 4 oportunidades registradas no CRM com as devidas informações ele ganha um micro-prêmio.

Se ele conseguir 5 micro-prêmios até o final da semana, na semana seguinte ele pode trocá-los por um prêmio real.

Com 4 micro-prêmios o prêmio final é menor, com 3 menor ainda, e abaixo disso não ganha nada.

Para controlar esses prêmios usando o Programa de Pontos do StayApp, então o prêmio real semanal é basicamente pago em dinheiro, mas válido em pontos, que podem ser resgatados em estabelecimentos próximos ao escritório e em outras regiões da cidade.

Sem falar que isso não é contabilizado como trabalhista, por ser prêmio, então fique tranquilo quanto aos impostos.

Caso queira saber como implementar o projeto usando o StayApp no seu negócio, onde nós definimos suas regras de gamificação e ainda criamos seu “clube de resgates” personalizado.

Se interessou? Entre em contato conosco.

3- Desafios que ficam cada vez maiores

Aqui a coisa começa a ficar interessante.

Os grandes jogos da história, como World of Warcraft por exemplo, passou por centenas de atualizações ao longo dos últimos anos.

Nesse sentido, seu programa também precisa ter progressão nos desafios e dificuldades.

No time de Customer Success, por exemplo, o colaborador precisa manter seu Health Score acima de 70%.

No entanto, e quando há um churning? O que ele pode ganhar pela reversão desse churning?

O bom da gamificação nas empresas é que depois que o “vício” pelas premiações é instaurado o time começa a pedir por novas formas de ter pontos, por que agora não é mais para comprar um Capuccino ou almoçar, pode ser para comprar um RayBan novo ou até mesmo encher o tanque do carro.

No exemplo acima, coloquei uma regra de que todo churning que for declarado formalmente pelo cliente, que for revertido ou substituído por um simples Downgrade, converterá em pontos para o CSM responsável.

Por isso é tão importante o gestor estar inteiramente ligado ao processo de definição de prêmios e a manutenção deles.

4- Exploradores: é um tipo de participante, cuja função é analisar e encontrar falhas na lógica da gamificação nas empresas

Chegamos no “gestor”.

Aqui na empresa eu sou esse cara.

Meu dia-a-dia é observar atentamente o uso dos pontos, os pedidos e novas necessidades e integrar ao programa de gamificação da sua empresa.

É bem divertido, by the way.

Uma das coisas que observei como explorador do projeto de Gamification da StayApp foi que bonificar, por exemplo, um Designer, é bem difícil.

No time de Marketing, onde ele está, por exemplo, a meta é baseada no volume de Leads gerados semanalmente, que não de origens pagas.

Isso daria ponto apenas para o Analista, correto?

Não.

Uma das grandes fontes de novos potenciais clientes são as redes sociais.

Para atuar com redes sociais você precisa ser um designer muito bom, afinal de contas está concorrendo com um monte de GIF de gatinhos fofos.

Por isso, a meta de Leads semanal bonifica todos os cargos do time, que trabalham em convergência para o objetivo final.

5- Feedback direto ao usuário

Em gamificação existe uma coisa chamada “FLOW”.

Quem já jogou algo por muitas horas vai lembrar que a hora não passa, um desafio concluído é o gancho para um novo desafio.

Você tem uma distorção completa do tempo que passou.

Isso só é possível no ambiente corporativo se você der Feedbacks constantes.

Na StayApp, temos um canal de comunicação direto com os colaboradores que é o PUSH Notification do Aplicativo mobile.

Quando um novo ponto de resgate é inserido ou quando uma nova mecânica é adicionada como um desafio todos ficam sabendo.

6- Presentes e mais presentes!

São diferentes das recompensas, estão mais relacionadas à motivação.

Quando os pontos não são suficientes, ou o colaborador não bate as micro-metas com frequência, é possível criar uma lógica de premiações relacionadas a outras atividades.

Na StayApp nós bonificamos o colaborador quando ele entrega o contato do dono de algum estabelecimento que eles querem como ponto de resgate, por exemplo.

Isso é simbionte ao meu objetivo, que é ter uma rede de qualidade para meu time e os futuros clientes da StayApp que usarem neste modelo.

7- Leaderborads

Trata-se uma espécie de painel onde os jogadores podem acompanhar os números e resultados de si mesmos e dos adversários.

Parecido com um ranking de uma competição saudável.

No nosso time de Customer success, por exemplo, o Health Score dos integrantes do time é compartilhado com todos através de um painel em tempo real.

Isso faz com que você queira perseguir as metas e alcançar alguém que está ao seu lado, ao seu dispor para ajudar.

Ao seu dispor por que não existe um cenário onde apenas um ganhe, se todos concluírem a meta, TODOS ganham um bônus. Legal, não é?

8- Obstáculos

O que seria  da vida sem grandes desafios?

Sem eles a conquista de algo seria insatisfatória.

Aqui na StayApp o vilão dos Customer Success é o algoritmo que calcula o Health Score de cada um, que a todo momento está “apitando” uma queda ou uma instabilidade no cliente X ou Y, nos quais eles devem agir rápido.

No time de vendas o obstáculo é o volume de Leads, um grande vilão de quem quer devorar uma meta e sair com os bolsos cheios… Quer dizer, o APP cheio de pontos que ainda podem ser usados com desconto.

Por isso, criei uma nova meta para o time relacionada à produção de conteúdo nas redes sociais, pois quem é da área de vendas sabe que isso ajuda na geração de leads.

Assim, quem alcança 1.000 views em um post do LinkedIn, por exemplo, é bonificado com pontos.

9- Relação direta com as metas da organização. 

Na StayApp, o vendedor precisa gerar 4 oportunidades por dia para bater sua meta ao fim do mês, logo, sua meta diária para ganhar “pontos” no nosso sistema de gamificação nas empresas é gerar essas oportunidades diárias, como eu disse anteriormente.

Isso está diretamente conectado à meta de geração de Leads, tal como a capacidade máxima de produção mensal do time de Implementação.

Tudo trabalhando em sinergia para manter o trimestre com mais de 15% de crescimento médio.

10- Barra de progresso: Elemento individual 

Claro que não pode faltar onde o pessoal acompanha suas metas e como elas evoluem dia após dia.

E nem tudo é aplicativo. No app eles acompanham apenas a pontuação que já possuem, enquanto no vidro, ao lado do time de vendas, tem isso:

gameficação nas empresas

11- Forma de quantificar os resultados, na prática

Você precisa de um dashboard para acompanhar.

Por isso, na StayApp, quando você contrata você compra um volume de créditos que serão distribuídos no seu time como você bem entender, ou planejarmos juntos.

E você acompanha como eles estão sendo não só emitidos para o time, mas também utilizados.

Vários insights para o explorador!

12- Diversão!

É game, afinal de contas!

Se seu time, em um mês de uso, não começar a brigar por StayPoints (no bom sentido), mude sua estratégia, por que ela não está gamificando o suficiente.

Antes de qualquer coisa, por que você quer Gamificar a operação da sua empresa?

Já vi inúmeros casos de gestores que não tem sucesso em implementar algo novo, e por isso sofrem.

Conclusão 

E aí? O que achou do artigo?

Como você pode perceber durante a leitura deste artigo, a gamificação pode impactar um negócio de forma bastante positiva no que diz respeito ao engajamento para que esses colaboradores melhorem e, pelos exemplos apresentados, de clientes.

Como ficou claro durante a leitura, é possível estudar e encontrar estratégias que envolvam os colaboradores, proporcionando boas experiências e inspirando as pessoas.

Neste caso, o sucesso, para ambos os públicos, pode ser explicado pelas recompensas. 

Lembre-se, o ser humano gosta de desafios, ainda mais quando são possíveis de vencer e trazem bonificações por isso.


Curtiu o post? Então compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *