Negócios que Faltam no Brasil e São Ótimas Opções de Investimento

Curtiu o post? Então compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Empreender requer decisões firmes, e talvez a maior delas seja exatamente em qual área investir. Uma das maiores dúvidas de empresários iniciantes está do dilema de iniciar um negócio já consolidado, pois os riscos são menores, ou arriscar com algo inovador no mercado.

Para essa solução, não existe um caminho certo ou errado, o que há aqui é um estudo de mercado aprofundado. Só porque você está interessado em abrir um negócio cujo mercado disponibiliza dezenas de opções, que sua ideia não será bem recebida.

O mesmo acontece com um serviço inédito ou pouco difundido no país. Tudo é uma questão de pesquisa e compreensão do público-alvo. A partir desse estudo e entendimento, o caminho no qual seguir ficará mais claro.

Compensa investir em negócios que faltam no Brasil?

Para qualquer negócio ser tendência, ganhar o mercado e cair no gosto dos consumidores, antes de mais nada é preciso alguém dar o primeiro passo. Para isso acontecer, o ideal é analisar a demanda do mercado local, se a ideal é viável e em quanto tempo pode gerar retorno financeiro.

Separamos algumas dicas básicas para você saber se compensa ou não apostar em negócios que faltam no Brasil.

  • Pense muito bem na ideia de negócio que deseja e analise se você possui conhecimento técnico ou mesmo experiência na área. Se não, pondere quanto lhe custará aplicar em determinado estudo, se realmente compensa seguir em frente com ela ou tentar outro meio.
  • Verifique se o mercado permite essa abertura. Existe público para seu futuro negócio? Talvez a ideia seja ótima, porém, ainda não chegou ao Brasil porque o consumidor nacional pode ter certa resistência com o serviço. Ou mesmo a própria cultura local dificultaria o desenvolvimento dela.
  • Certifique-se da mão de obra qualificada disponível no mercado. O serviço exige alguma expertise relativamente fácil de se encontrar? Muitas vezes é necessário oferecer treinamento para os funcionários ao implementar uma inovação de negócio. Em casos extremos, algumas empresas importam profissionais. Nesse caso, considere o valor do custo, se valeria mesmo a pena investir assim.
  • Planejamento é tudo! Antes mesmo de colocar seu novo negócio em prática, analise todos os riscos de abertura. Monte o cenário mais pessimista possível e tente encontrar soluções para ele. Ter as respostas para os problemas que podem surgir é sempre uma vantagem. Vale lembrar também de estabelecer metas a curto, médio e longo prazo, e monitorar constantemente a evolução do seu empreendimento.

5 negócios que faltam no Brasil e são ótimas opções de investimento

Embora o brasileiro possa ter certa resistência com novidades, eles também são muito atraídos por elas. Algumas vezes basta alguém com coragem, e estudo prévio, suficiente para abrir o caminho da inovação no país.

Pensando nisso, selecionamos ótimas ideias que ainda são bem tímidas no Brasil e que merecem maior dissipação justamente por serem maravilhosas. Confira!

1 – Dropshipping

O mercado de importados cresceu no Brasil, mas ainda tem espaço para mais. O consumidor brasileiro tem se acostumado a comprar produtos de fora, normalmente por sites especializados. No entanto, o droshipping funciona de forma um pouco diferente.

Ao contrário dos tradicionais sites que oferecem produtos importados à pronta entrega, esse método não funciona com estoque. Aqui a empresa opera como um canal entre consumidor nacional e fornecedor internacional.

A partir do momento que o pedido é finalizado, ele fica encarregado de entrar em contato com o fornecedor e encomendar o produto. Os clientes saem na vantagem com produtos inéditos no Brasil, com preços mais acessíveis e o empreendedor leva uma boa margem de lucro.

2 – Aluguel de roupas

No Brasil, o serviço de aluguel de roupas ainda é bem pequeno. As pessoas estão mais acostumadas a contratar o serviço somente em ocasiões específicas, como festas que exigem fantasia ou traje social completo. No entanto, existe um ótimo negócio além desses momentos.

O aluguel de roupas sob demanda oferece ao cliente pacotes que vão desde a alta costura até trajes para o trabalho rotineiro. Ao invés de comprar tantas peças, as pessoas podem simplesmente locar, sem o risco de repetir a roupa ou receio em não saber combinar.

3 – Chefe de cozinha particular

O setor de alimentação dificilmente para de crescer. Mas enquanto muitos chefes de cozinha sonham em abrir o próprio restaurante, alguns pensam fora da caixa. O serviço de chefe particular no Brasil é muito pouco explorado, porém, um campo amplo para investimento.

A ideia aqui não é cozinhar para uma família todos os dias, mas disponibilizar o trabalho para pequenas reuniões entre amigos, ou mesmo familiares, festas e até happy hour. Muitas pessoas buscam por cardápios diferenciados e novas experiências gastronômicas. A prática é bastante comum no exterior e tem grande chance de crescer por aqui também.

4 – Lojas sem gêneros

Os jovens de hoje estão cada vez mais motivados a quebrar paradigmas e mostrar que certos hábitos estão ultrapassados. Um dos assuntos frequentemente debatido é a questão das roupas. Para eles, os vestuários são ausentes de gêneros, ou seja, homens e mulheres podem usar o que bem desejarem. Eles vestidos e elas cueca, por exemplo.

Com essa linha de raciocínio, falta mais lojas sem distinção de gêneros no brasil. Com trajes unissex e neutros, respeitando a opção de cada ser humano na vontade de se vestir como bem entender.

5 – Cardápios alternativos

Ser uma pessoa com restrições alimentares no Brasil é algo extremamente complicado, pois não há oferta para comer fora de casa. Restaures, lanchonetes e demais empreendimentos do setor, pensam muito pouco nessas pessoas.

Quando há lugares que vendem produtos com zero açúcar, sem lactose, sem glúten e com outros ingredientes alternativos, quase 100% das vezes são voltados para pessoas que busca emagrecer. Dessa forma, as opções tendem a ser as mesmas, sem cuidado algum para diferenciar o cardápio.

Existe milhares de pessoas no país com alergia real ao glúten, à lactose e, principalmente, diabéticos. Sem contar os idosos, que também precisam de uma alimentação distinta e ficam restritos à mesmice.

Ser do setor alimentício e não olhar para essas pessoas é um tiro no pé.

Seja qual for a escolha, com conhecimento de mercado e planejamento, praticamente qualquer negócio pode ser implementado no Brasil. As pessoas se adaptam ao novo, especialmente em algo bom, prático e de qualidade.


Curtiu o post? Então compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe um comentário