mercados digitais para quem quer faturar

10 mercados digitais para quem quer faturar alto nos próximos anos

Empreendedorismo

O mundo digital chegou para ficar, e isso abre inúmeras portas para quem quer viver disso. Hoje, existem diversos mercados que se desenvolvem totalmente de forma digital – alguns exigem um certo nível de capacitação, é verdade, mas com o amplo acesso ao conhecimento que a internet proporciona, cada vez mais pessoas estão migrando de mercados de trabalho tradicionais para outros nichos.

Confira abaixo algumas das principais tendências do mercado digital para quem busca uma fonte de renda extra, ou até mesmo renda principal:

Cursos online e infoprodutos

Se você é muito bom em algo e sente que é capaz de ensinar pessoas, o mercado de cursos online em vídeo e outros infoprodutos (como ebooks, audiobooks e screencasts) pode ser uma boa fonte de renda. Embora seja necessário algum investimento com equipamentos de gravação e publicidade em ferramentas digitais, o retorno pode compensar em curto ou médio prazo.

Algumas plataformas 100% digitais, como Hotmart, Eduk e Udemy, conectam instrutores de diversas áreas a alunos e são boas alternativas para quem quer ingressar nesse nicho. Mas cuidado: tenha a certeza de que entregará um conteúdo fidedigno, a um preço justo, pois o mercado está repleto de enganadores.

Copywriting

Quem não tem nada para ensinar também pode se beneficiar do mercado de cursos online e infoprodutos de outras formas – é o caso de copywriters, profissionais encarregados da produção de textos persuasivos para anúncios, e-emails, sites e landing pages.

É importante ressaltar que tais textos têm como grande objetivo a conversão em vendas. Por isso, é importante que o copywriter aplique técnicas e gatilhos mentais de publicidade e marketing digital na produção textual.

Gestão de tráfego

Uma outra forma de lucrar com produtos de terceiros é fazer a gestão de tráfego para sites e páginas de vendas. Afinal, não basta ter um bom infoproduto sem que ele atinja o publico correto. O papel do gestor é segmentar esse público e utilizar técnicas para atrair consumidores, passando por diversas etapas até a compra.

Leia também:  88 Nomes Para Loja de Celular e Acessórios

Existem muitos tipos de tráfego, tanto aqueles orgânicos quanto os pagos, seja via Google, redes sociais, e-mails e outros canais. Há gestores que focam apenas em um tipo e outros que são “multitarefa” – o importante é dominar as ferramentas e métricas inerentes a cada um.

Redes Sociais

As redes sociais transformaram completamente o mercado publicitário, convertendo pessoas comuns em influenciadores digitais que são alvos de diversas marcas para ações de propaganda. Só no Instagram, a expectativa é que o marketing com influenciadores movimente mais de US$ 13 bilhões ao fim de 2021.

Portanto, se você tem um perfil com bastante engajamento e interação – ou seja, não adianta somente ter seguidores – pode usar a rede social como uma fonte de renda, seja ela o Instagram, Facebook, Tik Tok ou qualquer outra, desde que tenha um público-alvo bem definido e produza um conteúdo de qualidade.

Lives

Por falar em redes sociais, uma das tendências do mundo digital nos últimos anos são as transmissões ao vivo – podcasts como Flow e Podpah são um ótimo exemplo. Uma boa ferramenta para quem quer começar a faturar com lives é a Twitch, sobretudo no nicho de games. Por lá, milhares de streamers vivem exclusivamente de rendimentos de suas lives.

Embora os jogos de vídeo game sejam o foco das transmissões da Twitch, é possível faturar com outros tipos de lives, desde conversas casuais até mesmo transmissão de partidas de poker em canais oficiais. As formas de monetização para os usuários afiliados incluem subscrições, doações, publicidade nas lives e venda de outros subprodutos.

Youtube

Uma alternativa para quem quer faturar com o mercado digital é manter um canal no Youtube para determinado nicho. Depois de um certo número de visualizações e inscritos, é possível monetizar os vídeos na plataforma e conseguir uma boa fonte de renda – além de outras formas de rentabilidade, como publicidade nos próprios vídeos e venda de produtos relacionados ao canal.

Leia também:  Tem um supermercado, mercado ou mercearia? Saiba como aumentar as vendas com um programa de fidelidade.

Blogs e sites

Com a democratização cada vez maior do acesso à informação, os meios tradicionais de comunicação, com revistas e jornais impressos, perdem força para os sites e blogs na internet – por isso, as grandes marcas do jornalismo investem cada vez mais em canais digitais para fornecerem conteúdo a seu público.

Hoje, não é necessário um grande investimento para manter um site de notícias ou um blog especializado em determinado nicho, e há diversas formas de monetização desse conteúdo, como publicidade através do Google Adsense, clubes de membros e conteúdos exclusivos pagos. Porém, é fundamental que seja um conteúdo verdadeiro – afinal, internet já está cheia de Fake News.

Desenvolvimento de apps

Se você vem da área de Tecnologia da Informação – ou pretende se especializar nisso – uma das tendências digitais é o desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis. Hoje, muitos freelancers atuam na criação de apps sem sair de casa. Além disso, há uma demanda grande no mercado com grandes empresas precisando de profissionais capacitados.

No entanto, este é um nicho que exige certa capacitação e constante atualização, já que novas linguagens de programação surgem quase diariamente. As mais usadas são Java, Python, C#, C++, Ruby e PHP, além de algumas mais específicas, como Kotlin e Swift. Dominar essas linguagens é um enorme diferencial

UX/UI

Outra área digital que tem grande demanda de profissionais é a área de UX/UI design – que consiste em adequar o design e interface de aplicativos, sites e demais projetos à experiência do usuário final. Embora muitos desenvolvedores já tenham essa característica, é muito comum que as empresas contratem pessoas especialmente para essa função.

Leia também:  Como Abrir Uma Loja Virtual de Sex Shop: Tudo Que Você Precisa Saber!

Investimentos em ações

Esqueça aquela imagem de bolsa de valores com centenas de telefones tocando ao mesmo tempo na orelha dos corretores e gestores de investimento. Com o surgimento de fintechs e bancos digitais, os investimentos em ações e outros ativos passou a ser 100% digital – sendo necessário apenas possuir conta em uma corretora e, claro, contar com algum capital para começar a investir.

Além disso, ter uma boa renda com investimentos exige bastante estudo em padrões gráficos, tendências e comportamento de mercado. Também é fundamental estar atento às notícias de economia, finanças e política. Isso tudo acaba assustando muitas pessoas, mas existem muitas possibilidades que trazem rentabilidade alta em curto, médio ou longo prazo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *