Qual a real de ser trainee em uma Startup?

como é ser trainee em startup
5 (100%) 8 vote[s]

O StayApp surgiu na minha vida em agosto de 2018, exatamente 7 meses após ter surgido para o mundo.

Enquanto lidava com a decisão de trancar a graduação em Comunicação Social em pleno início de 6° período. E com o fato de não saber qual profissional queria me tornar e por onde começar, descobri que no mundo existiam as Startups e, dentre elas, o recém-nascido StayApp.

É preciso entender o Fit Cultural

As Startups não possuem um modelo bem definido ou um processo enxuto e em seu modelo final, por isso, o fator que garante o sucesso do trabalho e a fluidez da equipe é sim o Fit Cultural, e ele é levado muito a sério nesses ambientes.

Dentro do Stay não é diferente, nossa Early Stage já nasceu estruturada em uma crença forte e seguida a risca: para nós é o cliente que importa!

Somos movidos por acreditar nos sonhos de outras pessoas e por querer torná-los realidades, e para alcançar tal nível de conexão com esses empreendedores traçamos uma estratégia simples: desde o momento da conversão desse lead até ser chegado o momento de se tornar um usuário capaz de dar sugestões de melhorias o tratamento vai ser de parceria, companheirismo, respeito e muita vontade de ajudar.

É isso que faz com que dentro da equipe sejam necessárias pessoas dispostas a atender e aprender. Sempre buscando soluções diferentes e que saiam do comum.

Mas em Startup tem muito trabalho?

Como eu disse nós não estamos nem perto do modelo final da nossa operação. Temos apenas certeza de que muito está centralizado no nosso consumidor e no desejo de tornar a experiência de compra do varejo cada vez mais aliada a soluções inteligentes e automatizadas.

No entanto, mexer com um produto altamente escalável quer dizer (se o seu produto for tão bom quanto o StayApp, pelo menos) que ele vai crescer constantemente e que, nesse meio tempo, as operações vão ser reajustadas até a exaustão. Diz também que a empresa precisa primordialmente de uma equipe dinâmica e que enxerga desafios assustadores com verdadeiro entusiasmo e empolgação.

Não importa muito o cargo, estar na rotina de um negócio em crescimento acelerado e de mudanças frenéticas significa estar em uma atmosfera repleta de experiências ricas e capazes de transformar seu posicionamento profissional, desde que você esteja disposto a procurar esse lugar de crescimento.

Após 6 meses participando da operação do StayApp acredito que a maior lição que aprendi até agora é que multidisciplinaridade é ser um camaleão que comanda foguetes enquanto analisa muito bem dados estratégicos.

Eu falo sério sobre ser multidisciplinar

Minha experiência profissional era resumida a um estágio como redatora e alguns contatos com social mídia.

Fui contratada para ajudar no setor de Customer Sucess (CS) do Stay quando a empresa já havia alcançado mais de 200 clientes na carteira.

Aprendi tudo do zero, todo mundo ajudava na operação inteira e contribuía muito no meu aprendizado no dia a dia. O primordial foi estudar e entender que estava lidando com pessoas.

Com apenas um mês me dedicando a essa descoberta fui convidada a me retirar.

O frio na barriga nunca passa

Eu me adaptei muito bem a rotina de uma Startup, à correria das reuniões e das mudanças de plano. Daí decidiram que era hora de me tirar do conforto.

Mesmo tendo ouvido desde o início que só existia a profissão de vendedor, de maneira alguma imaginaria desempenhar essa função diretamente. Até nosso CMO decidir me inserir no setor de Inside Sales.

Aprendi o que eram metas insanas, spin selling, sales engagement e técnicas que nem pensei que colocaria em prática algum dia.

Depois de muito duvidar de mim mesma descobri que era capaz de gerar valor no produto que eu acreditava e esse experimento mudou a maneira que eu me via dentro da empresa.

Experimentar é descobrir talentos

Após constatar que existia em mim muito mais do que eu havia procurado antes perdi um pouco do medo de tentar o novo.

Pouco tempo depois de começar com Inside Sales passei a desempenhar a função de Sales Development Representative (SDR).

Quando vimos a necessidade de um primeiro contato com nosso lead, de um primeiro rastreamento de possível problema, eu me encaixei.

Ser trainee é não deixar lacunas

Desde a minha chegada no StayApp a quantidade de funcionários quase dobrou. Nosso MRR não para de crescer e muitas operações já mudaram novamente.

No momento que estou escrevendo este artigo, estou cuidando da operação de Onboarding. É claro que sem abandonar as vendas, sem deixar de dar uma passadinha no setor de Customer Sucess pra checar o desempenho de cada cliente.

Para mim, a liberdade de um trainee em uma Startup é notar que pode usar do espaço para se explorar.

É colocar em pauta toda a capacidade que tem em diferentes áreas. Demonstrar a facilidade para exercer funções completamente diferentes. A habilidade de criar conteúdos criativos. E, principalmente, de trabalhar em harmonia com a própria equipe.

Sabendo o momento e a importância de ajudar cada colega de maneiras distintas e que colaborem para que todos se adaptem ao crescimento.

A ideia é não ficar parado

No geral, ocupar um cargo de trainee é desafiador em qualquer empresa, seja qual o tamanho ou modelo de se trabalhar.

A diferença dessa função em uma Startup é realmente a chance que se tem nas mãos de mostrar e descobrir um potencial que talvez possa te guiar em direções profissionais que você jamais tenha imaginado.

Por isso, não tenha medo de aceitar diferentes posições, testes e desafios. As Startups estão ganhando cada dia mais espaço e para crescer dentro delas basta ter muita vontade e energia. Lembrando sempre de respeitar seus próprios limites.

Você já foi ou conhece algum trainee de Startup? Compartilhe sua história com a gente!

2 Comentários

  1. Gostou do Post ? Nos ajude vontando nas estrelas AQUI ABAIXO ☟

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *